Busca

O Que é Surrealismo?

Surrealismo é uma forma de expressão artística (pintura, literatura, cinema...) onde se usa o instinto, a subconsciência, o automatismo. Seria como se o artista tivesse que se libertar de tudo que fosse racional e normal para se expressar. Parece complicado, não? Mas sabe que isso acontece com qualquer pessoa... Como? Quando dormimos e SONHAMOS!...

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

A madona de Port Lligat

"A Madona de Port Lligat" - Primaira versão
.
.
A Madona de Port Lligat é o nome de dois quadros de Salvador Dalí. O primeiro foi criado em 1949, medindo 49 x 37,5 centímetros. Dali enviou-a ao Papa Pio XII para aprovação, que foi concedida. Dalí criou uma segunda pintura em 1950 com o mesmo título e mesmo tema medindo 144 x 96 cm. As pinturas retratam duas figuras sentadas, uma Madona de meia-idade (que teve como modelo a mulher de Dalí, Gala), com o Menino Jesus em seu colo. Ambas as figuras têm buracos retangulares cortadas em seus Torsos, sugerindo seu estado transcendente. Eles estão colocados em uma paisagem, com uma vista de Port Lligat, com o mar da Catalunha como pano de fundo, com vários detalhes surrealistas, incluindo unhas, peixe, concha, ovo e pão. A Madonna de 1949 tem um ouriço do mar; a de 1950 tem um rinoceronte e figuras de anjos adicionais, também posados por Gala.

"A Madona de Port Lligat" - Segunda versão

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Automatismo psíquico

Esboço surrealista - Por Maurício Costa
"Automatismo Psíquico", técnica empregada pelos surrealistas que consiste em libertar as amarras do inconsciente, deixando fluir o traço com tudo que vier na mente, sem bloqueios ou julgamentos.

sábado, 27 de setembro de 2008

Max Ernst

Max Ernst - "A Europa Depois da Chuva"
O mentor intelectual do Surrealismo, André Breton dizia que Max Ernst (1891-1976) era o "mais magnífico cérebro assombrado" do mundo das artes. O pintor alemão soube levar como poucos a premissa de que a obra deveria vir de um estado onírico, de sonho. Isto é, a pintura seria a manifestação do que os psicanalistas chamam de inconsciente.

Max Ernst - "A Tentação de Santo Antônio"
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.Max Ernst e Dorothea Tanning em 1948
.
Depois de ser um soldado alemão na Primeira Guerra, Ernst, o garoto que aprendera a pintar copiando paisagens de Van Gogh, passou por uma breve fase cubista após a guerra. Em 1919, fundou o grupo Dada em sua terra natal (Colônia) e se propôs a destruir todos os valores estéticos de então. Foi uma tentativa de ruptura, uma reação contra uma sociedade falida e destruída moralmente pela Primeira Guerra Mundial.


Em 1922, emigrou para a França, onde conheceu André Breton e ingressou no movimento surrealista. Publicou livros de poesia ilustrados e, em 1929, fez a colagem "A Mulher de 100 Cabeças", um dos ícones do surrealismo. Em 1930, interpretou um papel no filme de Luis Buñuel, "A Idade do Ouro".O Surrealismo levou às últimas conseqüências o que seus criadores entendiam como "renovação da arte a partir da recusa à lógica e à moral da burguesia". Assim como o Dadaísmo, jogou fora tudo o que até então era esteticamente aceitável. Ao lado de Louis Aragon, Salvador Dali e Man Ray, Ernst criou peças que até hoje chocam o público.

Max Ernst - "Anje du Fuyeur"

Em seus quadros de cores brilhantes, Max Ernst associava imagens de elementos demoníacos e absurdos com outros eróticos e fabulosos. Unia de forma irracional esses símbolos para expressar seu subjetivismo. Da mesma forma que em suas colagens, as esculturas mesclavam objetos cotidianos, como peças de automóvel e garrafas de leite, a blocos de cimento, que depois fundia em bronze.Na Alemanha nazista, seus quadros foram expostos, junto aos de outros artistas na mostra denominada Arte Degenerada, em 1937. Durante a Segunda Guerra, com a ocupação da França, Ernst fugiu para os Estados Unidos sob a proteção da mecenas milionária Peggy Guggenheim, uma de suas várias amantes. Em 1948, ganhou a cidadania americana.Voltou à Europa em 1958, naturalizando-se francês. Morreu em 1976, em Paris.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Fotografia surrealista

Conheçam o trabalho do fotógrafo Patrick Desmet. Nascido na Bélgica, Desmet tem uma paixão intensa pela fotografia e pelo surrealismo. Ver o seu portfólio é sem dúvida uma experiência enriquecedora!

domingo, 21 de setembro de 2008

René Magritte

Em "La condition humaine, 1933", um quadro de uma paisagem foi colocado num tripé, frente a uma janela. O tema é exatamente igual ao exterior, criando uma confusão entre a representação e o original. Através desta obra, o pintor belga René Magritte questiona a distinção entre a ilusão e a realidade. O estilo meticuloso e frio, derivado do mundo da publicidade e da ilustração, acrescenta uma convicção próxima da de um documentário a esta estranha imagem, desafiando as nossas certezas visuais. O caráter ilusionístico e a atmosfera de sonho são próprios da sua versão individual do Surrealismo. Magritte tornou-se um dos líderes deste movimento depois de ter abandonado a Bélgica, em 1927, para se instalar em Paris, onde permaneceu durante três anos. As suas obras são frequentemente enigmáticas, jogando com a ambiguidade e a verdade visual. Acerca da sua própria obra, afirmou: «As pessoas que procuram significados simbólicos não conseguem captar a poesia e o mistério da imagem... As imagens têm de ser vistas tal como são.» René Magritte nasceu em Lessines (BEL) em 1898 e morreu em Bruxelas (BEL) em 1967.